BLOG – GO.ON

Fazer entregas: por conta própria, transportadora ou Correios?

fazer entregas conta própria transportadora correios

Empresas que precisam entregar produtos para os seus clientes lidam diariamente com um dilema: realizar a entrega com frota própria, contratar uma transportadora ou contar com o serviço dos Correios? Esta é uma pergunta muito difícil de ser respondida e que tira o sono de muitos gestores. Antes de tudo, é importante lembrar que a escolha entre uma opção e outra depende da realidade e das necessidades de cada empresa.

Nesse post, você terá informações suficientes para o início de um processo de decisão assertivo, sem a necessidade de partir para a tentativa e erro.

Fazer entregas com frota própria

Vantagens

A principal vantagem de fazer entregas de produtos com frota própria é o maior controle sobre a operação em geral. Isso possibilita a elaboração de estratégias para tornar as entregas dos pedidos mais pontuais e melhorar a experiência dos clientes. Essa opção também dá ao gestor maior autonomia para tomar decisões e contornar problemas que possam afetar os consumidores.

Desvantagens

Para fazer as entregas com frota própria a empresa precisa comprar veículos (motos, vans, caminhões de pequeno porte etc.) e arcar com os seus custos de manutenção e depreciação. Além disso, ela tem que cuidar de todas as suas documentações, adquirir insumos (gasolina, pneus, óleos etc.) e pagar licenças e impostos. Também é necessário contratar motoristas, pagar seus salários e treiná-los adequadamente.

Contratar uma transportadora

Vantagens

Ao contratar uma transportadora para realizar as entregas, o gestor não precisa se preocupar com as despesas geradas pelos veículos e pela equipe, nem com a realização dos processos. Basta repassar os produtos para a empresa e ela se encarregará da entrega deles, independentemente de seu tipo, peso e dimensões. Essa opção também dá ao gestor tempo para atividades mais importantes.

Desvantagens

Além do alto custo do serviço, há a falta de informações relacionadas às operações de entrega. O gestor não consegue saber, por exemplo, o status da entrega e quanto tempo levará para o cliente receber o produto. Muitas transportadoras também não disponibilizam bons canais de comunicação e não armazenam e transportam o produto com o cuidado necessário.

Usar os Correios

Vantagens

Ao optar por entregar os produtos via Correios, a empresa dá mais tranquilidade aos seus clientes, pois eles  já conhecem essa companhia e os seus serviços de entrega. Os Correios também possibilitam o estabelecimento de contratos com desconto de acordo com o volume de entregas e também o pagamento mensal dos serviços por meio de uma única fatura, o que facilita bastante o trabalho do gestor.

Desvantagens

Os Correios impõem limites de peso e dimensões de embalagens, além de não aceitarem determinados tipos de produtos. A empresa também não faz entregas em áreas consideradas ‘de risco’ e obrigam os clientes a comparecerem a uma agência para retirar o seu produto. Isto sem contar greves e paralisações nos serviços, que atrasam bastante o prazo de entrega dos produtos e mancham a imagem da empresa no mercado.

E qual tipo de entrega é melhor?

Como você pôde ver, cada opção tem seu lado bom e ruim. A escolha entre uma ou outra depende da estratégia da empresa e do tipo de produto a ser entregue. Alguns gestores optam pela abordagem mista, que une duas ou mais opções, para combinar esses fatores e serem mais assertivos no procedimento de entrega.

O primeiro ponto para elaborar a estratégia é a área geográfica de atendimento. Se ela for pequena, vale a pena investir e manter uma frota própria, com poucos veículos, e contratar entregadores. Mas se a área de atendimento for grande, então o melhor é contar com o apoio de uma transportadora ou os Correios.

Se a empresa precisa de agilidade na entrega dos produtos, como medicamentos manipulados ou insumos químicos, a melhor alternativa é contar com a frota própria. Ela é a opção que garante o correto manuseio dos produtos e rapidez no processo de embalagem e emissão de ordens de serviço.

Já o tamanho das embalagens deve ser levado em consideração para dimensionar como o serviço será executado (tipo de veículo etc.) e excluir a opção dos Correios.

Contornando as desvantagens

É importante lembrar que algumas das desvantagens de cada opção podem ser contornadas. No caso da frota própria, os custos do transporte podem ser reduzidos por meio da roteirização das entregas. Isso pode ser feito por meio de um software que também realiza o rastreamento de entregadores e o cálculo de quilometragem, além de enviar alerta os gestores a respeito de quaisquer irregularidades – veja mais a respeito clicando aqui.

Já os problemas com serviços de entrega terceirizados podem ser evitados com a verificação do histórico de cada empresa e dos procedimentos adotados por ela.

E então, já tomou a sua decisão? Compartilhe-a com a gente pelos comentários. Aproveite também para deixar suas opiniões e questionamentos!